Um velho golpe, com velhas técnicas, vem se espalhando com força entre os grupos de brasileiros no Facebook. E tem até nome: o golpe do digitador online home office. Durante a abordagem dos golpistas, que oferecem vagas de empregos, mas que na verdade vendem “cursos”, nada nunca é muito claro. Exceto o valor do seu suposto ganho que é premeditadamente apresentado através de uma postagem. Geralmente um print, com uma falsificação grosseira e repetitiva de uma “conta” no Paypal, onde basicamente se altera o nome do golpista e o valor ganho durante um mês. Tudo para ludibriar novas vítimas com a falsa oferta de trabalho.

Nas divulgações feitas em grupos de facebook, tudo é premeditadamente preparado. Foto do perfil, postagens, comentários nas postagens. Quanto mais parecido com uma conta real maiores são as chances da vítima acreditar estar lidando com uma pessoa real, ou seja, que tenha um CPF ou NIF e um endereço residencial ou comercial.

Imagem: recorte de postagem no Facebook.

Através de uma postagem publicada no Grupo de Brasileiros na Europa, “Ana Anjos”, que se apresentava como consultora de marketing e gestora de tráfego pago no Google, oferecia 50 vagas para trabalho em casa, de forma 100% online, prestando serviços para empresas multinacionais que estão contratando freelancers. O anúncio destacava não se tratar de vendas e pedia ao interessado que digitasse o email nos comentários para receber mais informações.

Contudo, mediante uma simples pesquisa no Google, foi fácil identificar que o rosto utilizado no perfil não pertencia a um usuário real. A foto de “Ana Anjos” era de um serviço de imagens comercializado pela plataforma Freepik. Motivo pelo qual, inclusive, utilizamos a “carinha dela” para ilustrar nossa reportagem, pois, de certa forma, aparenta ser de alguém que acabou de levar um golpe.

Quanto a não se tratar de vendas, também não é verdade. O objetivo final da postagem é a venda de um suposto curso que será “capaz de habilitar o candidato” – neste caso a vítima – a ganhar os tais 979,96 euros por mês. O problema e que, conforme apurado pelo BR.NEWS, tudo leva a crer que se trata realmente de vendas, e o pior, da venda de um golpe.

Entenda o golpe

Lindnaldo Silva (Naldo), que tem um canal no YouTube chamado “Fature com o Naldo”, fez um vídeo alertando para o problema. Nossa redação entrou em contato com ele e perguntou como funciona o golpe, explica: “Basicamente você busca na internet formas de trabalhar em casa. No Google, sites de empregos, redes sociais como Facebook, LinkedIn e logo aparecem resultados para trabalhar como digitador: ‘Últimas vagas’, ‘Sua Chance de Mudar de Vida’, ‘Trabalhe no conforto da sua casa e lucre todos os dias’.

Quando a pessoa se interessa e entra em contato, “o golpista diz que as vagas são limitadas, que se pode ganhar muito dinheiro em casa trabalhando apenas como digitador. Ele mostra prints de resultados falsos e diz que para garantir a vaga tem que comprar um curso de valor não reembolsável para receber um material de treinamento. O preço é entre R$14,90 a R$100,00”, detalha Naldo.

Um dos apelos para atrair as vítimas são os valores que supostamente será recebido pelo “exercício da profissão”. Algo que é tecnicamente suspeito, pois os preços cobrados pelas apostilas no mercado europeu variam entre 15 e 20 euros, muito aquém do potencial ganho logo no primeiro mês, que conforme os prints, variam entre 900 e 1.000 euros. A vítima rapidamente faz as contas, entende estar diante de um bom negócio e acaba caindo no golpe.

Segundo Naldo a apostila até chega, mas duas hipóteses podem acontecer. A primeira: “ou você vai receber a apostila que não vai servir de nada, pois geralmente ela vem com informações que você encontra facilmente na internet.” Ou pior: “ela vem dando instruções para você aplicar o golpe em outras pessoas”, o que na visão de Naldo seria um esquema de pirâmide.

A conta caiu

Entramos em contato com o Facebook e relatamos o caso da postagem e do perfil de “Ana Anjos”. Pedimos uma análise e explicamos que a foto pertencia a um serviço de imagens. Além do perfil de “Ana”, também apresentamos mais dois outros perfis suspeitos.

Em resposta, o porta-voz do Facebook esclareceu: “Não permitimos atividades fraudulentas que possam prejudicar pessoas e removemos esse tipo de conteúdo assim que tomamos conhecimento dele. As pessoas podem denunciar qualquer conteúdo que possa estar violando os Padrões da Comunidade do Facebook”.

A conta de “Ana Anjos”, dos demais perfis que denunciamos, bem como todas as postagens fraudulentas realizadas por esses falsos usuários em grupos de brasileiros, foram apagadas da plataforma. E a pedido do BR.NEWS, o Facebook também encaminhou um link com informações para ensinar aos nossos leitores o procedimento de como denunciar algo que possa ser considerado como conteúdo abusivo ou spam pela rede social.

Novas denúncias

Os domínios com endereços dos sites, formulários e contas criadas no Paypal também serão denunciados, com uma cópia dessa reportagem, para que as demais empresas possam tomar as devidas providências. Esses e outros tipos de denúncias também podem ser feitas através do email de nossa redação: redacao@br.news

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *