As autoridades portuguesas confirmaram uma capacidade de 33% ou até 16.500 espectadores, explica o site oficial da UEFA sobre a final da Champions League de 2021. O jogo, que será entre Manchester City (Inglaterra) e Chelsea (Inglaterra), será hoje (29) às 20h00 no Estádio do Dragão.

A final estava originalmente agendada para o Estádio Olímpico Atatürk, em Istambul, complementa o site. No entanto, devido a restrições relacionadas com a COVID-19, a UEFA decidiu alterar o local para Portugal, pois a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e as autoridades portuguesas se ofereceram para receber o jogo.

Segundo a Agência Brasil, em entrevista coletiva na última quinta-feira (27), o superintendente da Polícia do Porto, Cardoso da Silva, disse que “Não há restrições à circulação de torcedores”. E que cerca de 80 voos fretados com ingleses devem pousar em solo português.

Quebra da ordem e das regras sanitárias

O problema é que, antes mesmo do dia oficial do jogo, a disputa parece já ter sido iniciada nas ruas. Vários vídeos gravados por populares e publicados nas redes sociais flagraram torcedores ingleses se aglomerando no centro do Porto. E o pior, as aglomerações não eram para comemorações ou confraternizações, mas para violentas brigas de torcida.

Há pouco menos de 1 mês, no dia 15 de abril, foi aniversário de 32 anos da final entre os times ingleses Liverpool e Nottingham Forest. Um lamentável dia que deixou um rastro de 96 mortos e 766 feridos. A tragédia, que foi também um misto de brigas, aglomerações e de decisões erradas, marcou profundamente o futebol inglês e europeu.

Oito policiais britânicos especializados em lidar com torcedores de futebol estão em Portugal e trabalharão com a polícia portuguesa para ajudar a garantir a ordem pública. Contudo, o descumprimento das normas sanitárias, arruaças e violência, podem ser um grande desafio a se cumprir, principalmente neste grave momento de pandemia.

Ao contrário da disputa de futebol, a grande partida poderá mesmo ocorrer entre o COVID-19 e as autoridades policiais. E a nossa torcida será para que esta violência entre torcedores não seja um prelúdio da noite de hoje.