Segundo a Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia (SBFa), mais de 15 milhões de brasileiros apresentam problemas vocais, capazes de atrapalhar a comunicação pessoal e profissional. Previsões apontam que no triênio 2020–2022, as doenças relacionadas à voz no Brasil atinjam 6.470 homens e 1.180 mulheres.

“Em tempos de pandemia, em que os áudios e vídeos se tornaram nossos principais meios de comunicação, a fala se tornou uma das ferramentas de maior valia, seja no âmbito pessoal como profissional. No entanto, sua importância vai além da mensagem a ser transmitida. Para haver uma comunicação assertiva, clara e sem ruídos, é essencial ter uma boa dicção”, aponta a Dra. Cristiane Romano, fonoaudióloga, mestre e doutora em Ciências e Expressividade pela USP.

Segundo ela, a dicção é a forma como pronunciamos os sons das palavras, sílabas e letras. É responsável pela perfeição da nossa fala que, por sua vez, é o elemento mais importante da comunicação. “A maneira como articulamos nossas palavras influencia diretamente no entendimento da mensagem. Por isso, quem sofre com problemas de dicção se sente inseguro na posição de orador. Para estes, aprimorar a dicção significa muito mais do que formular um bom discurso: ajuda a desenvolver autoconfiança, melhorando o poder da oratória”.

A boa notícia é que falhas na dicção podem ser resolvidas com a correção da fala, por meio de técnicas que trabalham a respiração e o aquecimento dos músculos faciais, vocais e linguais. Confira os 5 exercícios sugeridos por Cristiane Romano para o aperfeiçoamento da sua dicção:

Grave e ouça a sua voz

A primeira dica é gravar a si mesmo lendo um texto aleatório. Esta ação ajudará você a parametrizar os pontos que precisam ser melhorados, ouvir quais sílabas você tem mais dificuldade em pronunciar e os trechos que ficaram menos compreendidos. Experimente falar com ritmos, propósitos e emoções diferentes. Quanto mais opções testar, mais conhecimento terá da sua voz e dos pontos a melhorar.

Pronuncie as consoantes com clareza

A atividade exige um pouco de atenção para se certificar de que as consoantes estão corretas na fala, com todos os fonemas pronunciados de forma clara e precisa, sem que se misturem ou emendem com outras palavras. Há uma série de frases, poesias e sons que podem ser repetidos para praticar as pronúncias. O importante é dedicar um tempo diariamente para o exercício.

Escolha o ritmo ideal para a fala

O ritmo é fundamental para definir a sua melhor dicção. Fale sempre no seu tempo e se concentre na melhor forma de pronunciar cada sílaba. Para ter um bom parâmetro de como está a clareza de sua fala, recorra novamente às gravações, tanto durante a prática de discursos, quanto durante os exercícios que estiver fazendo. Caso você detecte sons específicos em que sua dicção esteja ruim, procure por mais exercícios e continue a trabalhar em cada detalhe.

Trabalhe o relaxamento da voz

Em momentos de nervosismo, como em uma reunião online onde você terá que apresentar um projeto para toda a direção da empresa, por exemplo, é normal que a voz trave ou acelere, fazendo com que as palavras saiam atropeladas e prejudique a qualidade e a credibilidade da oratória.

Nestes casos, além de respirar fundo e tentar se acalmar, faça um treino de nasalização para relaxar a voz:

Primeiro, bloqueie a entrada de ar, fechando as narinas com os dedos. Depois, pronuncie o som “hummmm”, como se fosse um zumbido de abelha, com a boca fechada, por cerca de um minuto. Pause para respirar e depois repita por mais duas vezes o exercício. A vibração emitida pelo som ajuda a relaxar as cordas vocais.

Exercite os músculos faciais e linguais

Alguns exercícios trabalham a articulação da língua e dos músculos da boca, ajudando a obter a pronúncia perfeita de cada sílaba e palavra. Confira o exercício abaixo:

Primeiro, é preciso travar os lábios com algum objeto — pode ser um lápis ou uma caneta —, com a ponta de trás posicionada cerca de 1 cm para dentro da boca.

Depois, leia frases curtas e as repita muitas vezes, sem deixar que a qualidade da pronúncia caia durante as repetições. Quando cansar, tire o lápis ou a caneta e treine as frases nos movimentos normais.

Uma boa dica é usar frases que tenham padrões diferentes, como trava-línguas, rimas e frases com sílabas as quais tenha mais dificuldade em pronunciar. Assim, você diversifica e aproveita melhor o exercício.

“Lembre-se: o sucesso para uma boa fala está no quanto você se dedica a melhorar a dicção. Força de vontade e determinação são fundamentais para a prática das técnicas sugeridas. Se for preciso, busque um profissional especializado para te auxiliar neste processo”, finaliza Cristiane Romano.