Tito Guarniere - Opinião

Tito Guarniere

Circula nas redes sociais uma tabela comparativa que exibe de um lado a bandeira do Brasil e de outro uma bandeira vermelha de foice e martelo – bandeira do comunismo. A tabela ornamentou uma parede externa de edifício em Porto Alegre, em escala gigante. Foi notícia em toda a mídia.

O expediente simplório gerou polêmicas previsíveis no embate eleitoral em curso.
Mas não passa de um “out-door” recheado de “fakes” grosseiros, de comparações entre categorias distintas e de bobagens homéricas. Peça de propaganda, panfleto de baixa extração, que diz muito da qualidade política e intelectual e do caráter dos seus autores.

No mural dos bolsonaristas, eles são a favor dos bandidos presos e de menos impostos, enquanto os outros (os comunistas) seriam a favor de bandidos soltos e de mais impostos. É uma tremenda forçada de barra. É “fake”. É desonesto.

Ninguém defende bandido solto – a não ser no caso de uma minoria de excêntricos, maluquetes e anarquistas incorrigíveis.

A favor de impostos? Como sabemos todos , e já foi dito há muito tempo, só há duas coisas certas : a morte e os impostos. Quem por acaso – por tara pessoal ou teimosa idiossincrasia – for a favor de mais impostos, sempre serão os impostos dos outros, nunca os seus. Não se encontrará ninguém a favor de mais impostos nem entre os mais inveterados lulopetistas.

Há uma categoria especial que merece referência: os governantes (de todos os partidos, de todas as correntes) que gastam além da conta e depois compensam elevando alíquotas e criando novas fontes de arrecadação. Redução de impostos só em vésperas de eleição – o governante está de olho na (re)eleição e não no benefício dos contribuintes. No caso atual, a conta das bonanças eleitorais recentes será apresentada ao povo brasileiro no tempo certo, ano que vem e depois. E podem crer, sairá salgada.

A comparação afirma que Bolsonaro é a favor da liberdade, e que a bandeira vermelha(Lula ), é favor da censura. É verdade que Lula e o PT vem falando na regulação da mídia há muito tempo. É uma fala para dentro, para os seus. Eles estão cansados de saber que as disposições da Constituição e das leis não permitem a censura dos meios de comunicação. É duvidoso que alguém – seja quem for o ganhador da eleição – possa mudar esses sólidos delineamentos legais.

De qualquer forma, o PT , Lula, nas raras vezes em que quiseram calar ou mudar posturas da mídia, tiveram que fazer o que é normal no Estado Democrático de Direito : recorrer à Justiça. Foi assim e assim será , com Lula ou com quer que seja. E causa certo espanto acreditar que Bolsonaro seja uma voz a favor da liberdade de imprensa. Até onde consta nos autos, ele sempre elogiou e defendeu o regime militar de 1964 – este sim a favor da censura, na teoria e na prática.

E vai por aí o documento comparativo. Tudo, com frequência, se reduz à opinião de uma facção interna da esquerda ou do PT, à conceituação individual de um membro proeminente, que se estende arbitrariamente como se fosse do candidato e de todo o partido.

titoguarniere@terra.com.br
twitter : @TitoGuarnieree