Tito Guarniere - Opinião

Bloqueio do Telegram

O aplicativo Telegram é uma terra sem lei. É ambiente acolhedor e amigável se o freguês está interessado em pornografia adulta e infantil, apologia do nazismo, comércio de armas (inclusive ilegal), supremacia branca e racismo, execuções e assassinatos. É o aplicativo predileto do bolsonarismo.

A Advocacia Geral da União-AGU é a advocacia da União, não de Bolsonaro e do bolsonarismo. Mas foi a Advocacia Geral da União que entrou com uma medida de suspensão do bloqueio do Telegram junto ao STF.

Rondon se revira no túmulo

O Marechal Cândido Rondon (1865-1968) é um dos meus heróis prediletos, junto com Gandhi, Mandela, Luther King. Militar, sertanista, pacifista e indigenista, percorreu os sertões do Brasil procurando tribos de índios não contatados, sob o lema “morrer, se preciso; matar, nunca”. Agora, o presidente Jair Bolsonaro foi agraciado com a Medalha de Mérito Indigenista, pelo Ministério da Justiça. Rondon deve ter se revirado no túmulo.

Não ao garimpo em terras índias

Não somente as esquerdas, ambientalistas e indigenistas são contra mineração em terras de índios. Grandes grupos empresariais ligados ao agronegócio, reunidos na Coalização Brasil Clima, têm posição clara: garimpo nas terras indígenas não resolve o problema dos fertilizantes.
Entre essas empresas: Bayer, Bradesco, Basf, Cargill, Carrefour, Danone, Gerdau. Boticário, Klabin, Vale, Nestlé.

JMB agracia JMB

O presidente Jair Messias Bolsonaro, com a autoestima em alta, concedeu a Jair Messias Bolsonaro a Medalha de Honra ao Mérito do Ministério de Justiça e Segurança Pública.

Otários não acreditam em vacina

1) Segundo o competente primeiro-ministro Italiano Mário Draghi, graças à vacina 80 mil mortes de Covid foram evitadas na Itália. Na proporção da população, então se pode calcular que no Brasil 270 mil brasileiros estão vivos por causa da vacina.

2) Um estudo do estado de São Paulo, de dezembro a fevereiro deste ano, mostra que sem vacina a Covid mata 26 vezes mais.

3) Nas cidades que mais votaram em Bolsonaro, do Sudoeste e do Sul, prevaleceram as teorias negacionistas, contra o isolamento social, a máscara, a vacina. Resultado: em torno de 44% mais mortes por Covid do que do Nordeste. Exemplo: na bolsonarista Sapiranga-RS, foram 360 óbitos por 100 mil habitantes; em Crato-CE, onde venceu Haddad, 110.

República de pastores

1) O pastor Renê Arian, da Igreja Agnus(?), realizou uma cerimônia de benção de revólveres, espingardas, etc. O bolsonarismo armamentista cria essas aberrações – pastores abençoando armas.

2) Bolsonaro falando a um grupo de pastores evangélicos: “Dirijo a nação para o lado que os senhores desejarem”. Bolsonaro não tem a menor noção dos princípios republicanos. Só existe o lado dos pastores? E nós outros? E os demais? Por que só evangélicos? Por que não aiatolás?

3) O Ministério da Educação, cujo ministro é o pastor Milton Ribeiro, foi – segundo o jornal O Globo – aparelhado por pastores evangélicos. Pastores, em teoria, devem se ocupar da cura das almas. Esses mudaram o foco: atendem nos balcões do Ministério.

No MEC, chame o seu pastor e nada lhe faltará.

titoguarniere@outlook.com
twitter: @TitoGuarnieree

Deixe um comentário

Deixe uma resposta Cancelar resposta