Viana do Castelo

A partir desta semana, a Câmara Municipal de Viana do Castelo inicia questionários presenciais e digitais que vão avaliar o impacto das Festas em Honra de Nossa Senhora da Agonia, no âmbito de um estudo exaustivo que visa estudar e preparar as próximas edições da maior romaria do país.

Os cerca de 1.500 questionários presenciais previstos são destinados a residentes e não residentes e serão promovidos por profissionais devidamente identificados, sendo que os participantes terão direito a um brinde alusivo à Romaria d’Agonia. Assim, a equipa irá realizar os questionários de 11 a 21 de agosto, com um reforço no período de 17 a 21 de agosto, contando com a colaboração de 14 pessoas.

O questionário está já disponível online em https://linktr.ee/inq_satisfacao_senhoradagonia , em português, inglês e espanhol.

Este inquérito irá servir para obter uma visão refinada da oferta de comércio, habitação e do funcionamento mais eficiente da comunidade, melhorar a experiência de quem visita Viana do Castelo durante o evento. Ao mesmo tempo, irá permitir identificar valor não percebido que reforce o gosto pela cultura e pelas tradições, de modo a que se possa vivenciar a Romaria em todos os aspetos culturais intrínsecos. Irá ainda permitir definir áreas prioritárias de atuação tendo em vista a melhoria da experiência e a satisfação de toda a comunidade.

O Presidente da Câmara, Luís Nobre, já indicara que o objetivo deste estudo é “estimar o impacto socioeconómico, cultural e artístico que a Romaria d’Agonia tem não só na cidade, como em todo o concelho”. O edil considera que “um estudo exaustivo do maior evento do distrito, um dos maiores do Norte e do país, irá permitir definir o futuro da Romaria”. “Para isso, temos de saber o que fazemos e como melhorar a experiência dos vianenses e de quem nos visita”, sublinha.

De acordo com resultados recolhidos por este estudo, será “estabelecida uma estratégia que permita a melhoria funcional das festas e promova o seu alcance, procurando atrair ainda mais turistas, aumentar o tempo médio de permanência dos visitantes na cidade, impulsionando a economia e a criação de emprego”.

Assim, este trabalho, que integra os questionários que irão ser promovidos nos próximos dias, visa “perceber os recursos materiais que o evento movimenta nas empresas, avaliar a forma como é promovida a cultura tradicional, como são recebidos os turistas no período das festas, o que retiram de positivo e negativo da experiência, para construir o seu futuro, assente na plena identidade do concelho, mas com um olhar vanguardista”.

“Vamos utilizar dados secundários, através consulta de bibliografia especializada e informações disponíveis nas diferentes entidades envolvidas e dados primários, como abordagens quantitativas, pesquisa junto dos visitantes, inquéritos a entidades, movimentos associativos e culturais e outros agentes comprometidos com a organização das festas”, indica ainda Luís Nobre.

De 17 a 21 de agosto, Viana do Castelo vive e sente a Romaria d’Agonia. O programa, rico e variado, promete voltar a encher diariamente as ruas da cidade com largos milhares de visitantes. O traje, o ouro, os gigantones e cabeçudos, o cortejo, a Festa do Traje, as procissões, as monumentais sessões de fogo-de-artifício, a serenata, a alegria e a chieira, sempre acompanhados pelo ribombar dos bombos, vão mostrar, mais uma vez, os motivos pelos quais esta é considerada a rainha das romarias.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta Cancelar resposta